Considerado exemplo, taxista de 95 anos ganha festa surpresa de colegas

Aldo Borges/PMPA

Juvenal Silveira da Cunha, de 95 anos, trabalha como taxista na cidade de Porto Alegre e já tem mais de 50 anos na profissão. Por não ter nenhum registro de reclamação desde 1978, ele ganhou uma festa de aniversário especial, preparada pelos colegas da Empresa Pública de Transporte e Circulação, local no qual trabalha. Não bastando a surpresa, os amigos de Juvenal, escolheram presenteá-lo com uma decoração temática do seu time de coração, o Grêmio, no dia em que este disputava a final da Libertadores. O ponto da rodoviária onde ele trabalha há mais de 20 anos foi o local da comemoração e a homenagem foi registrada em fotos.

Falando sobre os anos 1960, período em que começou a trabalhar na área, Juvenal relembra as dificuldades e como chegou na posição ocupada hoje. “Na época eu calculei que era uma reserva para arrumar um dinheiro a mais, o salário era pouco”, comenta ele, que trabalhava como metalúrgico, em entrevista ao G1. O que era para ser um extra dura até hoje, e mesmo se aproximando do centenário de vida. Viúvo, porém pai de duas mulheres e avô de cinco netos, ele afirma amar dirigir. “Vou continuar trabalhando para me distrair, porque não gosto de estar parado. Gosto de mexer o corpo”, explica. Segundo Juvenal, o fusca foi um dos primeiros carros que ele dirigiu, ainda quando era jovem.

Juvenal Silveira/Arquivo Pessoal

Felipe, um dos netos do taxista, afirma que o avô é tão bom no que faz que sempre consegue fornecer informações importantes quando ele pergunta onde determinado lugar/rua fica. Experiente, o idoso ressalta que, no passado, o trânsito era muito menos caótico do que nos dias de hoje. “Quando víamos um camarada com a roda suja de terra, sabíamos que ele tinha se afastado do centro da cidade”, disse. As experiências são as mais diversas; desde levar noivas até o local do casamento até transportar cadáveres em caixões, conta ele. Por conquistar sempre os seus passageiros, e, há mais de 25 anos, não ter nenhuma reclamação na sua ficha funcional na EPTC, Juvenal finaliza explicando o segredo da carreira de sucesso.  “É muito simples. Não me atrito, não discuto com ninguém. E não sou multado, porque obedeço às leis de trânsito. E garanto que não pretendo me aposentar tão cedo, se Deus quiser”, concluiu.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)