Concurso da Nasa busca a melhor solução para dejetos de astronautas

Nasa/Reprodução

Caminhadas espaciais geralmente demoram horas. Horas essas nas quais o astronauta não pode ir ao banheiro. Qualquer imprevisto pode fazer o astronauta precisar ficar ainda mais tempo fora da nave. Como proceder quando a natureza humana fala mais alto? Pensando nisso, a Nasa lançou um concurso para os melhores protótipos de roupas que permitem armazenar dejetos humanos.

A roupa deve funcionar em condições de microgravidade, ou seja, em situações em que os fluidos e sólidos flutuam. Mais de 5 mil ideias foram apresentadas desde outubro de 2016, quando o concurso foi lançado. Recentemente, a Nasa escolheu as três ideias vencedoras e começará a desenvolver os protótipos para fazer testes.

Em primeiro lugar, que recebeu um prêmio de US$ 15 mil, ficou a ideia do cirurgião Thatcher Cardon, oficial da Força Aérea Americana. Cardon fiz que sua inspiração veio das técnicas cirúrgicas pouco invasivas, como a laparoscopia. O projeto consiste em um pequeno compartimento hermético acoplado à região entre as pernas com fraldas e um penico inflável, inseridos através de um pequeno buraco.

O segundo prêmio, que ganhou US$ 10 mil, foi para uma equipe formada por um médico, um professor de engenharia e uma dentista. A equipe criou um sistema impulsionado pelo ar que empurra os dejetos por um tubo para longe do corpo do astronauta e armazena em outra área do traje espacial.

E o terceiro lugar, com um prêmio de US$ 5 mil, foi para um designer britânico. O traje feito por ele desinfeta e armazena os dejetos dentro do próprio dispositivo, que parece uma bermuda de malha. O protótipo tem um cateter externo que funciona com um mecanismo de compressão, um de lacre e outro para desinfecção de resíduos.

De acordo com o site de notícias BBC Brasil, a Nasa pretende combinar ideias próprias com os protótipos criados pelos ganhadores para chegar a solução ideal.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)