Cientistas conseguem restaurar audição de ratos surdos

Wikimedia Commons/Reprodução

Cientistas da Escola de Medicina de Harvard e do Boston Children’s Hospital desenvolveram um experimento onde ratos surdos conseguiram escutar, restaurando uma parte da audição. De acordo com a pesquisa, os animais conseguiram escutar cerca de 25 decibéis, algo equivalente a um pequeno sussurro. Os pesquisadores restaurar pelos sensíveis ao som que possuíam defeitos, utilizando um vírus sintético. “Isso é sem precedentes, esta é a primeira vez que nós vimos esse nível de restauração de audição”, declarou o pesquisador Jeffrey Holt para o jornal britânico BBC.

Os ratos usados no experimento possuíam uma disfunção chamada Síndrome de Usher, que possui raiz genética. Essa síndrome compromete as instruções para a formação de pelos que ampliam as ondas sonoras nas orelhas do ratos, auxiliando na chegada dos sons até as células que os convertem em sinais elétricos que vão ao cérebro. Com o vírus produzido em laboratório, os pelos da orelha recebem as instruções corretas para serem formados.

A terapia só foi efetiva quando aplicada em ratos tratados desde o nascimento. Outros que receberam o tratamento dez dias depois de nascidos não apresentaram melhoras. Por esse motivo, o entusiasmo com a pesquisa possui seus limites. “Essa pesquisa é bastante motivadora. Mas há um receio de ainda possa ser tarde demais usar essa terapia logo após o nascimento com bebês com síndrome de Usher, já que eles são mais desenvolvidos do que ratos recém-nascidos”, declarou Ralph Holme, diretor de pesquisa no Instituto Ação para Perda da Audição. Os pesquisadores acreditam que a pesquisa possa abrir caminho para tratamentos em humanos, mesmo que a surdez possa ser causada por 100 diferentes tipos de defeitos genéticos

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)