Brasil registra primeira morte relacionada a Pokémon Go

Correio do Imbé / Facebook

Um menino de nove anos morreu após cair em uma lagoa enquanto supostamente caçava pokémon na cidade de Imbé, no litoral do Rio Grande do Sul. A informação foi da Brigada Militar de Tramandaí, responsável pelo resgate, o que configura o primeiro incidente grave atribuído ao game no país. Arthur Bobsin Ferreira estava em um terreno baldio perto de casa com um amigo quando teriam decidido entrar em um barco de fibra para procurar os personagens dentro d’água, na Lagoa do Armazém. O barco virou e o menino desapareceu, só sendo encontrado após horas de busca.

O corpo da criança foi encontrado por funcionários de uma empresa local depois da busca ter sido suspensa pelos bombeiros por causa da visibilidade da água, mais de cinco horas depois do desaparecimento. “Já fazia horas que ele estava embaixo d’água, não tinha chance de reanimá-lo”, explicou Tiago Silveira Ferreira, um dos rapazes que encontrou o corpo do menino, ao jornal gaúcho Zero Hora. O corpo estava a 7m da margem e a 8m de profundidade.

O amigo da criança, João Pedro, que também estava no local na hora do acidente, não sofreu ferimentos e passa bem. O pai dele, Márcio Fernandes, 33, contesta a versão da Brigada Militar alegando que Arthur não tinha celular e João Pedro tem um aparelho incompatível com o jogo Pokémon Go. A delegacia de Imbé assumirá as investigações e deverá esclarecer o que levou os garotos ao barco.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)