Após 7 meses, recifense reencontra cão em feira de adoção

Taciana Pimentel/Cortesia

O portão de casa deixado aberto no dia 28 de julho de 2015 gerou um desencontro que angustiou Taciana Pimentel por sete meses. Pepi, o seu cão de 4 anos, fugiu da casa em que moravam no bairro da Iputinga, no Recife.

Taciana procurou Pepi por todo os bairros vizinhos, sempre sem sucesso. Ainda assim, tinha certeza do reencontro. “Todo mundo dizia que ele tinha morrido, ou que alguém tinha achado ele e levado para casa, mas eu sempre acreditei”, conta. Passou a seguir as publicações de diversas páginas de adoção de animais no Facebook, ansiosa por uma foto de Pepi que tardou a aparecer.

No dia 27 de fevereiro de 2016, a angústia deu lugar ao alívio. Taciana, já em Igarassu, para onde se mudou com a família, fazia a sua “ronda” pelas páginas de adoção no Facebook e encontrou uma foto de Pepi, em busca de um novo lar, no Evento de Adoção da Gigi, evento organizado pelas irmãs Gislani e Gizelda Barbosa em espaço cedido pela FAFIRE, no bairro da Boa Vista. “Quando vi, fiquei numa alegria muito grande, muito emocionada, fui correndo pra lá”, conta Taciana.

“Logo depois de ver a foto, fui até lá e, assim que ele me viu, reconheceu logo. Pulou em cima de mim, ficamos nos abraçando, foi um alívio muito grande encontrar ele”, relembra. O vídeo que registra o reencontro dos dois já soma quase 320 mil visualizações no You Tube.

“Tivemos a oportunidade de sediar esse acontecimento lindo.Vitório foi inscrito para adoção, teve a inscrição confirmada e nós ficamos muitíssimo felizes pelo desfecho da história. O nosso papel é organizar os eventos e dar espaço pra que esses animais sejam adotados”, conta Lani Barbosa.

Antes de ser levado para adoção, Pepi passou aproximadamente dois meses na rua até ser encontrado por uma mulher e sua filha na Avenida Abdias de Carvalho, próximo a uma farmácia, consideravelmente distante de casa. Elas o levaram, porém não tinham como permanecer com o cachorro. Procuraram o grupo SOS Amigos dos Animais, onde Pepi foi tratado da anemia e dos carrapatos adquiridos no período fora de casa. Participou de algumas feiras de adoção mas, para sorte de Taciana, Pepi – já rebatizado como Vitório – não encontrou um novo lar.

Reprodução/Facebook

“Hoje é um dos dias mais felizes da minha vida! É com muita, mas muita alegria e emoção no coração que venho informar que Vitório se chamava Pepi e estava perdido desde julho de 2015. Deus planejou vagarosamente para que esse dia chegasse. Vitorio hoje está em casa com sua antiga dona Taciana Pimentel, e muito mas muito feliz!”, compartilhou Alessandra Ferraz, membra da SOS Amigos dos Animais.

 

 

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)