Animais de donos fumantes podem ter vida mais curta

Labrador Conservation / Creative Commons

O mal que fumantes podem fazer para si e para quem convive com eles (chamados de fumantes passivos) já é conhecido, mas agora, um novo estudo comprova que hábitos tabagistas podem prejudicar ainda mais animais de estimação de donos fumantes. De acordo com uma nova pesquisa da Universidade de Glasgow – no Reino Unido, além dos animais inalarem mais fumaça, eles tem uma rotina de limpeza que implicam na maior ingestão de nicotina ao limpar os pelos e as penas. Os efeitos do fumo passivo em cães, por exemplo, podem ser câncer de pulmão ou de cavidade nasal e seios paranasais. Já os gatos podem desenvolver linfoma e pássaros, coelhos e porquinhos-da-índia têm fortes tendências a sofrer com doenças de pele e problemas respiratórios.

Para chegar a essa conclusão, a pesquisadora Clare Knottenbelt explicou que foram recrutados 40 cães – metade vieram de lares com fumantes – e 60 gatos. As amostras de pelos foram analisadas para saber o nível de nicotina presente. A atenção dos especialistas, no caso dos felinos, se voltou para a possível ligação entre o fumo passivo e o linfoma – um tipo de câncer que afeta os glóbulos brancos desses animais.

Na particularidade dos gatos, foi levada em consideração uma conta diferenciada, já que eles passeiam pela vizinhança e estão mais expostos à fumaça da rua ou de locais com fumantes. “Um gato pode viver em uma casa sem fumantes e ainda ter alto índice de nicotina”, explicou Clare. Por causa da descoberta, as maiores associações britânicas de veterinários e enfermeiras estão fazendo uma intensa campanha de conscientização sobre os danos. A enfermeira da Royal College of Nursing (RCN), Wendy Preston, contou à BBC que muitas pessoas ficaram horrorizadas com o fato de que o fumo passivo de animais pode até encurtar a vida do bicho de estimação. “Queremos facilitar a conversa sobre o tema com veterinários e enfermeiras veterinárias com os donos dos pacientes”, pontuou.

No entanto, ainda há quem discorde. O diretor de um grupo chamado Forest – que defende o direito dos fumantes, Simon Clark, declarou que o estudo “exagerou” e que não passa de uma distração para a verdadeira causa de abusos contra animais. “A melhor coisa que alguém pode fazer por seu animal de estimação é dar um lugar confortável para viver, onde ele se sinta seguro e bem cuidado”, disparou.

Gostou do conteúdo? Em nossa página tem mais:

Zoom

Zoom in Regular Zoom out

Facebook

Comentário(s)

Comentário(s)